quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Risco de incêndio elevado


Poucos imaginariam que em Novembro fosse necessário voltar a fazer alertas, mas hoje, em Gondomar, o nível de risco de incêndio florestal é VERMELHO, ou seja, MUITO ELEVADO. Não esqueça, por isso de tomar as medidas necessárias, nomeadamente, evitando as queimadas ou fogueiras, tão caractarísticas desta altura do ano, mas que podem ser fatais. A ausência de chuva, praticamente desde Agosto, e as temperaturas elevadas para esta época do ano, fazem com que o muito combustível acomuldado nas matas e florestas esteja em elevado risco. Esta manhã, no Distrito do Porto lavram dois incêndios, um já circunscrito, em Marco de Canaveses e outro em Baião, ainda não controlado. Vieira do Minho, Vouzela e Mondim de Basto registão também ocorrências com dimensão. No total estão envolvidos 300 homens e quase 100 veículos de combate.

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Multiusos preparado para o Europeu de Futsal


O Multiusos de Gondomar foi ontem testado para o Campeonato da Europa de Futesal, que ali terá lugar de 16 a 25 de Novembro. A Selecção Nacional bateu a Grécia, por 12-3 numa partida que serviu também para testar questões como a segurança. Federação Portuguesa de Futebol e UEFA estiveram atentas a todos os pormenores e, mais uma vez, o paivilhão recebeu nota máxima, numa realização que contou com mais de 2.500 espectadores. Hoje, repete-se o Portugal-Grécia, sendo o último teste antes do início da fase final, dia 16, com o Portugal-Itália, já a doer. A partida desta noite realiza-se pelas 18,30 horas e, à semelhança da de ontem, terá transmissão pela SIC.
Consulte o calendário dos jogos no site da UEFA.

domingo, 14 de outubro de 2007

Festas terminam em Gondomar sem incidentes




A Festa do Concelho de Gondomar termina hoje. Trata-se de uma das maiores romarias do País e mobiliza milhares de pessoas, na Feira, nas Tasquinhas, nos Espectáculos e na Zona de Divertimentos. Este ano, a Protecção Civil da Câmara Municipal de Gondomar elaborou uma planta de emergência. Felizmente, que os vários acontecimentos que tiveram lugar na sede do Concelho, em S. Cosme, Gondomar, não provocaram problemas de maior. À margem das festas, teve lugar ontem um grande concerto de Tony Carreira, no Multiusos Gondomar Coração de Ouro, que contou com a presença de cerca de sete mil espectadores que sairam muito agradados, com o artista, com o espectáculo, com o Pavilhão que em Novembro vai receber o Europeu de Futsal e com a segurança. Todos de parabéns, portanto.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Festas de Gondomar sem incidentes de maior


Não foram registados incidentes de maior nas Festas do Concelho de Gondomar. A fase da romaria desenrolou-se até hoje, feriado municipal, e a planta de emergência, que este ano foi elaborada pela Protecção Civil, não teve que ser utilizada pelas forças de segurança ou de socorro. As festas ainda prosseguem, por mais alguns dias. Dia 12 actua Quim Barreiros, no anfiteatro do Largo do Souto e no dia seguinte (embora fora do programa oficial das Festas) actua Tony Carreira, no Multiusos Gondomar Coração de Ouro.
Na Feira, Procissão nos Espectáculos, na Zona de Divertimento e na Feira das Tasquinhas, que hoje encerra, não houve necessidade de qualquer intervenção de emergência de relevo.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Um blog pelos animais abandonados


Depois do CortaFogo ter sido lançado em Maio pelos Gabinete de Imprensa e Gabinete de Protecção Civil da Câmara Municipal de Gondomar, é agora a vez do Departamento de Ambiente e Serviços Urbanos da Autarquia lançar também o seu blog. Trata-se de um site vocacionado para a adopção de animais, no Canil Municipal. Com a comemoração do Dia do Animal, amanhã, a Câmara realiza uma campanha especial de adopção nas instalações do Canil, que fundiona no Parque da Cal, em Gondomar. Além do animal, a Câmara oferece nesse dia o chip identificador, exigido por Lei. Consulte este novo blog, gerido pelo Pelouro de Ambiente e Serviços Urbanos em http://www.canilgondomar.blogspot.com/

terça-feira, 2 de outubro de 2007

CortaFogo não fecha na época "baixa"


A fase Charlie chegou ao fim, e com ela o maior risco de incêndio florestal. Desde 15 de Maio, data em que lançámos o blog CortaFogo, recebemos mais de oito mil visitas. O Mês com maior número de passagens pela página da Protecção Civil de Gondomar foi Julho. Ao longo dos meses, fomos procurando estabelecer contacto com os internautas, motivando-os a regressar diariamente ao blog, por forma a alertá-los e a assegurar uma melhor prevenção. Claro que temos a consciência de que os incêndios não se combatem com blogs na internet. Trata-se apenas de um pequeno contributo, entre muitos, resultante de mais um pequeno gesto. Não sei se terá ardido menos uma árvore por causa deste blog. Provavelmente não. Mas a simples hipótese de sentirmos que, com a chuva, com o trabalho dos bombeiros, das forças policiais, dos técnicos da Câmara de Gondomar, e da Autoridade Nacional de Protecção Civil, contribuímos para que ardesse este ano, em Gondomar, apenas 10% da floresta que ardeu em 2006, confere-nos um sentimento de grande satisfação. É também agradável sabermos que o trabalho é reconhecido. Quer pelas mensagens que nos enviaram ao longo destes meses, quer pela forma como votaram nas nossas sondagens, é possível dizermos que o trabalho que está a ser feito, em Gondomar e no País, é bem entendido pelas pessoas. Na última sondagem que lançámos neste blog, verificamos que 14 das 17 pessoas que votaram consideram bons os resultados obtidos em Gondomar nesta campanha, e os restantes classificam-nos como razoáveis. Noutra consulta mais ampla, que durou dois meses, votaram 62 pessoas em IP’s diferentes. 83% atribui o êxito da campanha às condições climatéricas, mas 18% reconhece que o trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal de Gondomar também teve influência. 12% considera também que Governo e Bombeiros devem receber louros e apenas 8% considera que a população já está sensibilizada para o problema. Este último resultado deve merecer a nossa reflexão e motiva-nos a continuarmos com a política de sensibilização lançada este ano e para a qual, modestamente, este blog pretendeu contribuir. Por último, uma palavra em relação à continuidade do CortaFogo. Em Maio, a nossa intenção era terminá-lo no final da fase Charlie. No entanto, os mais de oito mil visitantes, os 175 artigos publicados, os videos, as imagens, os gráficos, as cartografias, os links aqui coleccionados e a ideia de que é na época “baixa” que deve começar a sensibilização e a prevenção, fazem-nos manter em funcionamento o CortaFogo. Aqui, continuarão a ser publicados conteúdos, embora deixe de haver o diário alerta com o nível de risco de incêndio florestal. Certamente, sem a mesma frequência, mas com a utilidade que saberemos dar a este instrumento face às dificuldades típicas do Inverno e que requerem também intervenção da Protecção Civil de Gondomar. As cheias, os acidentes, a informação e a prevenção que diga respeito a esta área, estará por aqui. Prometemos ir melhorando este instrumento. Em 2008 esperemos não apenas ter dúvidas de que acções como esta contribuem para a defesa da floresta, como são fundamentais. Estivemos aqui este ano. Um ano histórico, pela positiva, em matéria de incêndios. Prometemos estar cá, nos maus momentos, também.

Ah! e OBRIGADO a todos os visitantes

Nuno Santos
Responsável pelo Gabinete de Imprensa da Câmara Municipal de Gondomar

Festas do Concelho têm planta de emergência

Clique na imagem para aumentar

As Festas da Romaria do Rosário, também conhecidas como Festas do Concelho de Gondomar, a decorrer até dia 14 de Outubro, contam este ano, pela primeira vez, com uma planta de emergência. Elaborado pelo Gabinete de Protecção Civil da Câmara Municipal de Gondomar e aprovado por unanimidade na Comissão de Festas, esta planta estabelece corredores de segurança e zonas de acesso em todo o perímetros da romaria, que anualmente leva centenas de milhares de pessoas a Gondomar. Esta plano pretende antecipar qualquer situação de emergência que poderá ocorrer naquela romaria, e inclui a zona de feira de espectáculos e a zona divertimentos, onde as medidas são ainda mais apertadas. O Pelouro de Protecção Civil da Câmara Municipal de Gondomar está em estreita colaboração com a Polícia Municipal de Gondomar, que fará a primeira fiscalização, garantindo que os corredores se encontram livres de obstáculos e que automobilistas e feirantes respeitam as zonas identificadas. Além da planta, distribuída a todos os feirantes, Comissão de Festas, Junta de Freguesia, Paróquia, Federação das Colectividades, Bombeiros, Forças Policiais e outras entidades envolvidas, as faixas de segurança encontram-se fisicamente assinaladas, em certos pontos com barreiras metálicas e, em outros locais, com pontos amarelos pintados no pavimento. Com estas medidas, a Câmara Municipal de Gondomar pretende prevenir uma eventual situação de emergência, assegurando a rápida intervenção da Protecção Civil ou a rápida evacuação de sinistrados. A actuação fiscalizadora e preventiva da Polícia Municipal de Gondomar e o civismo dos visitantes têm contribuído para que esta festa decorra sem problemas, mas o Gabinete de Protecção Civil quis, desta forma, garantir um nível de segurança ainda maior.Além deste novo instrumento, as Festas de Gondomar contam ainda com o apoio permanente de ambulâncias e das corporações de Bombeiros locais, Polícia Municipal e PSP.

O Programa das Festas do Concelho de Gondomar estende-seeste ano até ao dia 14 de Outubro, com várias reslizações,como Exposições, Actividades Desportivas e Culturais, Feiradas Tasquinhas e os sempre aguardados espectáculos musicais.Dia 8 será comemorado o Feriado Municipal e os principaisespectáculos terão lugar no Largo do Souto, às 22h00Largo do Souto

4 de Outubro: 4 TASTE
5 de Outubro: EMANUEL
12 de Outubro: QUIM BARREIROS

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Fase "Charlie" terminou com resultados históricos

A fase mais crítica dos incêndios florestais terminou. Desde que há resgitos, nunca tão pouca floresta ardeu no Verão em Portugal. Hoje, sugerimos-lhe uma artigo do JN, que faz o balanço, aponta causas e traça caminhos. Vale a pena ler, AQUI.

domingo, 30 de setembro de 2007

Chuva reduz risco em final de época

Com a época de incêndios a chegar ao fim, chegoua chuva e com ela reduziu-se muito o risco de incêndios. Em ano de resultados históricos, há que fazer as contas, perceber o que mudou e em que medida as mudanças de actitude e procedimentos contribuiram, além das condições climatéricas, para reduzir o número de incêndios e, sobretudo, a área ardida.

sábado, 29 de setembro de 2007

Área ardida de floresta e mato é a mais baixa dos últimos 27 anos

REPRODUZ-SE, A SEGUIR, ARTIGO HOJE PUBLICADO NO JORNAL PÚBLICO

29.09.2007, Mariana Oliveira

Sucesso atribuído à meteorologia,à primeira intervenção e à vigilância. Sem triunfalismos, porque o combustível se acumula na floresta
É o número de hectares ardidos até ontem, segundo a Direcção-Geral dos Recursos Florestais. Do total, 7585 hectares arderam em zonas de povoamentos florestais e 8451 em áreas de matos a A dois dias e meio do fim do período mais crítico dos incêndios florestais, que termina amanhã, contabilizavam-se 16.036 hectares de floresta e matos ardidos segundo dados da Direcção-Geral dos Recursos Florestais (DGRF) disponibilizados ao PÚBLICO. Apesar de o ano ainda não ter terminado, quase todos arriscam que 2007 deverá registar a menor área ardida dos últimos 27 anos, isto é, desde 1980. A grande fatia do sucesso é atribuída à meteorologia, mas a rapidez da primeira intervenção e vigilância da GNR também colhem louros. Sem triunfalismos, alguns alertam para o combustível que se acumula na floresta e aumentará o risco potencial de incêndios no futuro.Para encontrar uma área ardida aproximada à deste ano é preciso recuar até 1988, em que arderam 22.435 mil hectares de floresta e matos. A 15 de Setembro a DGRF, dava igualmente conta de uma redução significativa do número de ocorrências: 9127, contra 23.360 na média 2002-2006. Áreas protegidas poupadasAs áreas protegidas também foram poupadas este ano, tendo até ao passado dia 24 o Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade contabilizado apenas 1,7 hectares ardidos, contra mais de 11 mil hectares queimados até meados de Setembro do ano passado. Não há combatentes mortos nos incêndios deste ano e a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), que está a fazer o levantamento dos prejuízos, diz que os indicadores de que dispõe apontam para uma diminuição do número de feridos e dos danos em equipamentos e veículos. "O Verão já passou e dificilmente a área ardida aumentará muito mais até ao final do ano. Provavelmente teremos o valor mais baixo desde 1980", avalia Joaquim Sande Silva, da Liga para a Protecção da Natureza e professor na Escola Superior Agrária de Coimbra. A convicção é partilhada por muitos. Na análise dos porquês, a preponderância das condições climatéricas é consensual. "O número de dias em que o índice de risco de incêndio se apresentou muito elevado ou extremo é, até este momento, à volta de um terço da média de 2000-2006", exemplifica Paulo Fernandes, investigador do departamento florestal da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. "A chuva ajudou e, mesmo quando as condições meteorológicas estiveram adversas, não houve ventos de leste, o que permitiu que durante a noite houvesse um aumento da humidade relativa do ar, como aconteceu no Sardoal, o maior incêndio do ano", completa. E o presidente da LBP, Duarte Caldeira, lembra que a chuva permitiu níveis de concentração de humidade no solo, que dificultaram a propagação dos fogos. As melhorias na primeira intervenção também parecem consensuais. António Salgueiro, coordenador do Grupo de Análise e Uso do Fogo (GAUF), que se estreou este ano no dispositivo de incêndios, diz que houve mais eficácia no combate. "Sentimos mais rapidez no despacho dos meios, especialmente nos aéreos", salienta. Américo Mendes, presidente da Associação Florestal do Vale do Sousa, também realça melhorias no tempo de resposta da primeira intervenção. Os dois apontam ainda para o trabalho de fiscalização e vigilância da GNR que acreditam terá ajudado a reduzir o número de ignições na floresta. A este factor Duarte Caldeira junta as campanhas de sensibilização que acredita estão a ajudar a mudar comportamentos. Sande Silva aplaude a criação dos GAUF, que acredita que trouxeram uma nova abordagem ao combate. Américo Mendes puxa a brasa à sua sardinha, lembrando o trabalho de silvicultura preventiva feito, em parte, pelas brigadas de sapadores dos produtores florestais e sustentando que a política de defesa da floresta contra incêndios tem que ter em conta que 93,4 por cento da floresta é privada. Por isso, reivindica mais recursos financeiros para as associações de produtores, com base no seu desempenho. Sande Silva diz que a aposta na prevenção ainda é incipiente e salienta a importância do cadastro florestal. Opiniões à parte, há um alerta que ecoa. "Em 2006 não ardeu muito, este ano ardeu pouco, o que queimou em 2003 começa a estar pronto para arder outra vez. Começamos a ter um potencial de incêndio muito grande", alertou Salgueiro.

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Condições propícias a incêndios

Pelo menos até domingo, as condições climatéricas vão continuar propícias à ocorrência de incêndios, em Gondomar. Nos últimos dias, vários fogachos aconteceram em Gondomar, controlados, no entanto, com relativa facilidade e pronta actuação dos bombeiros e da protecção civil. Este sábado vai ainda ser de risco, mas domingo, com a chegada da chuva, as condições vão alterar-se. Estas condições são válidas para quase todo o país. Segundo a Autoridade Nacional de Protecção civil, nesta sexta-feira à noite estão activos e não circunscritos, dois incênios, ambos no Distrito de Vila Real. Um deles lavra no Gerês, perto de Pitões das Júnias, e o outro em Pedrario. Mais de 60 homens e 14 viaturas combatem as chamas.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Nível muito elevado

VERMELHO VERMELHO VERMELHO
O final de Setembro continua quente. Esta sexta-feira o nível de risco volta a ser muito elevado.

Não esqueça as regras:

- Não fazer qualquer tipo de fogo;
- Não utilizar equipamentos mecânicos em trabalhos agríolas, nomeadamente roçdoras de lâmina, susceptíveis de produzir faiscas ou faúlhas;
- Não deitar fósforos ou pontas de cigarros para a floresta;
- Não abandonar na floresta nenhum lixo,incluindo garrafas de vidro;
- Não realizar fogueiras para recreio, lazer ou confecção de alimentos;
- Não queimar matos cortados ou sobrantes de exploração;
- Não utilizar balões de mecha acesa, foguetes ou fogo de artifício.
- ALERTAR A PROTECÇÃO CIVIL, ATRAVÉS DO 112 (número nacional) OU DO 800 200 135 (em Gondomar) CASO DETECTE FOGO OU FUMO NA FLORESTA.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Final de época com risco

A época de incêndios está oficialmente a chegar ao fim. Mas, curiosamente, tem sido neste final de Setembro que os valores de nível de risco de incêndio em Gondomar têm estado mais elevados, pelo menos de uma forma mais sistemática, com algum vento e temperaturas relativamente elevadas de forma consistente. Mantenha-se, por isso alerta e não deixe de consultar o CortaFogo.

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Incendiários provocaram sete dos maiores fogos

Dos 16 incêndios com mais de cem hectares registados este ano cuja causa já foi apurada pelas autoridades sete foram provocados por incendiários. Os números constam do último relatório da Direcção-Geral dos Recursos Florestais, que mostra que o ano de 2007 está a ser particularmente favorável no que diz respeito ao combate aos incêndios florestais. De acordo com os dados, entre 1 de Janeiro e 15 de Setembro foram registadas 9127 ocorrências, que consumiram uma área total de 15 858 hectares (ha). Estes valores correspondem a 39% das ocorrências e 7,6% da área ardida em relação à média dos últimos cinco anos.Em relação a 2006, nota-se uma redução do número de ocorrências para cerca de metade (de 15 515 para 7759). A redução da área ardida é ainda mais notória – em 2006 arderam 74,6 mil ha contra os 15,8 mil ha em 2007.

OS CINCO MAIORES INCÊNDIOS DE 2007
1- Sardoal (Santarém, 20 de Agosto) / 1864 ha de área ardida / Em investigação
2- Nisa (Portalegre, 29 de Julho) / 1265 ha de área ardida / Intencional
3- Beja (Beja, 20 de Agosto) / 928 ha de área ardida / Em investigação
4- Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda, 21 de Agosto) / 711 ha de área ardida / Indeterminada
5- Pombal (Leiria, 6 de Setembro) / 706 ha de área ardida / Intencional

Fonte: Correio da Manhã

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Nível de risco volta a baixar para amarelo em Gondomar


Mas será verde em quase todo o País, amanhã.

Nível de risco volta a subir

O nível de risco de incêndio em Gondomar voltou hoje a subir para LARANJA, isto é, elevado. Tome, por isso, todas as precauções, pois apesar de Setembro já se aproximar do final, a verdade é que os níveis de risco são agora maiores do que foram no início do Verão.

Por isso, não esqueça as regras básicas:

- Não fazer qualquer tipo de fogo;
- Não utilizar equipamentos mecânicos em trabalhos agríolas, nomeadamente roçdoras de lâmina, susceptíveis de produzir faiscas ou faúlhas;
- Não deitar fósforos ou pontas de cigarros para a floresta;
- Não abandonar na floresta nenhum lixo,incluindo garrafas de vidro;
- Não realizar fogueiras para recreio, lazer ou confecção de alimentos;
- Não queimar matos cortados ou sobrantes de exploração;
- Não utilizar balões de mecha acesa, foguetes ou fogo de artifício.
- ALERTAR A PROTECÇÃO CIVIL, ATRAVÉS DO 112 (número nacional) OU DO 800 200 135 (em Gondomar) CASO DETECTE FOGO OU FUMO NA FLORESTA.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Nova sondagem

Gondomar viu nesta época de incêndios arder apenas 7% da área que foi queimada no mesmo período de 2007 (ver texto e notícia do JN). Dê-nos a sua opinião sobre estes resultados na sondagem da coluna ao lado.

Acidente com carro dos bombeiros

Um acidente ocorrido esta tarde em Castromil, Paredes, fez cinco feridos, sem gravidade, todos bombeiros que se faziam transportar num carro de combate a incêndios. Os feridos foram assistidos no Hospital de Penafiel, não apresentando gravidade e apenas um terá permanecido internado, devido a uma fractura.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Área ardida em Gondomar caiu drásticamente de 2006 para 2007


Desde o início da época de incêndios (1 de Junho) e até ao dia 9 de Setembro, a área ardida em Gondomar situou-se nos 7%, quando comparada com o mesmo período de 2006. A redução de ocorrências verifica-se tanto em incêndios com origem no Concelho como os que atingem Gondomar, vindos de outros municípios. Tendo por fonte a Direcção Geral dos Recursos Florestais e o Gabinete Técnico Florestal, o período estudado revela este ano a ocorrência de 162 ignições no Concelho de Gondomar, contra 359 em 2006. Estas ignições queimaram em 2006 mais de 114 hectares de floresta, contra pouco mais de 62 este ano. Estes números são ainda mais díspares quando lhes adicionamos a área ardida tendo em conta incêndios provenientes do exterior. Em 2006, dois incêndios com origem em Paredes e Valongo queimaram, em Gondomar, mais de 800 hectares, fazendo subir os número do ano passado para 958,46 hectares. Ou seja, contra os pouco mais de 67 hectares deste ano, atingem-se apenas 7% dos valores registados em igual período. O incêndio com maior dimensão registado este ano em Gondomar teve lugar em Medas/Pombal, no dia 7 de Setembro, tendo queimado 12,5 hectares de mato. O segundo maior, ocorreu no dia 13 de Setembro, em Foz do Sousa/Jancido, tendo ardido 6 hectares. O terceiro, teve lugar no dia 4 de Setembro, e arderam 5 hectares em Medas/Portelinha. Gondomar possui uma área de 130,7 km2, mais de metade florestada (ver mapa) e com uma morfologia quase sempre muito acidentada e de difícil acesso. A Câmara Municipal de Gondomar lançou este ano uma campanha contra os incêndios florestais, que incluiu a sensibilização das populações e dos proprietários, localmente e através de publicidade e editais, a notificação de muitos outros, a limpeza de matas, a abertura de caminhos e a criação de pontos de água e de torres de vigia. Os caminhos e corta-fogo foram visitados por equipas pluridisciplinares, incluindo forças de segurança, técnicos florestais e bombeiros e o resultado foi uma intervenção rápida em todas as ignições que tiveram lugar no Concelho, evitando o alastramento das chamas. As condições climatéricas contribuíram também decisivamente para os resultados positivos, quando comparados com os de 2006. Outro instrumento inovador foi a criação do blog CortaFogo (www.cortafogo.blogspot.com), orientado para a sensibilização ambiental e para a prevenção dos fogos. Criado pelo Gabinete de Imprensa da Câmara Municipal de Gondomar, em colaboração com o Gabinete de Protecção Civil. Lançado a 15 de Maio de 2007, recebeu mais de 7.500 visitas (cerca de 5 mil visitantes), que puderam ficar a saber diariamente o nível de risco de incêndio para o Concelho, a temperatura, a velocidade do vento, consultar cartografias dos terrenos a limpar, dos caminhos e “corta-fogos” abertos, e puderam ler mais 160 notícias e artigos. O site possui ainda links para sites com interesse, links para a imprensa diária e a forma como esta ia acompanhando o fenómeno dos incêndios, área de sondagens, de opinião dos leitores, vídeos, fotos e outro tipo de informação. Seguindo o exemplo de Gondomar, existem hoje vários blogs com orientação semelhante na blogosfera.

domingo, 16 de setembro de 2007

CortaFogo volta a ser notícia


O Jornal de Notícias faz hoje o balanço da época de incêndios até agora em Gondomar. Com resultados muito positivos, a Câmara Municipal de Gondomar empenhou-se em diminuir o número de ocorrências e o JN de hoje faz disso eco. Entre as razões do sucesso, contam-se as acções de sensibilização, incluindo o CortaFogo. Leia a Notícia.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Nível de risco cai

À medida que as temperaturas vão baixando, diminui o risco de incêndio. Amanhã termina um longo período de risco moderado, elevado ou muito elevado em Gondomar, regressando-se ao VERDE, segundo o INM.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Jovens em contacto com a natureza em Melres


A sensibilização ambiental e o contacto com a natureza são fundamentais para garantir um futuro melhor e uma efectiva preservação da floresta. No âmbito da Área Metropolitana do Porto foram este ano realizadas mais umas "Férias Náuticas e Ambientais", que envolveram seis Municípios, entre os quais, Gondomar. Com jovens entre os 10 e os 12 anos, estas férias proporcionaram momentos únicos de lazer, mas também de contacto directo com a natureza em vários locais. Em Gondomar, a AMP, a Associação Intercéltica (que também colaborou) e a Câmara Municipal de Gondomar escolheram o paradizíaco cenário de Melres para as suas acções. Canoagem, passeios de barco dragão, jogos populares, escalada fizeram parte das actividades dos jovens, numa zona densamente florestada e alvo, no passado, de grandes incêndios florestais. Um dia em cheio para os pequenos no que diz respeito ao prazer que a natureza nos pode dar, mas também quanto à sensibilização e quanto à garantia de um futuro sustentável e com maior respeito pelo meio ambiente.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Incêndios também do outro lado do Atlântico


O Paraguai declarou estado de emergência em três províncias do nordeste do país na terça-feira, devido a incêndios que destruíram milhares de hectares de florestas, plantações e pastos.
Os incêndios que se espalharam nos últimos dias, destruíram também dezenas de casas em áreas rurais. O estado de emergência regional foi declarado nas províncias de San Pedro, Concepción e Amambay, o que dá às autoridades mais recursos para combater os incêndios e ajudar as vítimas. Os incêndios foram iniciados por camponeses que limpavam áreas de floresta e renovavam as pastagens-uma prática comum no Paraguai, mas o clima seco fez com que o fogo se espalhasse sobre uma área estimada de 100 mil hectares, afirmaram autoridades.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Desce número de fogos, não o de incendiários

O Jornal de Notícias de hoje tem um extenso artigo acerca do combate aos incêndios florestais e sobre as suas causas. Vale a pena ler.

Risco elevado

O Risco de Incêndio em Gondomar volta hoje a ser classificado como elevado pelo INM.

domingo, 9 de setembro de 2007

Risco é agora moderado

Ao cabo de alguns dias de risco elevado e muito elevado em Gondomar, o nível passa dia 10 a Amarelo, ou seja, moderado. Consulte o Mapa do INM.

O exército deveria ajudar mais?

A questão tem sido levantada nos últimos anos. O Exército deveria ajudar mais no combate aos incêndios? Embora a tentação seja dizermos de imediato que sim, há, no passado, a história de algumas tragédias provocadas pela falta de preparação dos soldados para este tipo de missão. Dê a sua opinião na sondagem que hoje lhe lançados, depois de encarrada a questão acerca da preparação da Europa. Mais de 60% dos que responderam consideram que a Europa não está praparada. Vote na coluna do lado direito e veja os resultados de sondagens anteriores ao fundo da página.

sábado, 8 de setembro de 2007

Nível de risco ELEVADO em Gondomar

O nível de risco passou hoje a LARANJA em Gondomar, devido à ligeira descida da temperatura.

sexta-feira, 7 de setembro de 2007

NÍVEL MANTÉM-SE VERMELHO EM GONDOMAR

RISCO MUITO ELEVADO
O Risco de Incêndio Florestal mantém-se hoje muito elevado em Gondomar. No fim-de-semana as temperaturas deverão baixar um pouco, melhorando a situação, mas os alertas ainda se mantêm esta sexta-feira. Entretanto, 117 bombeiros combatem um incêndio com duas frentes activas que lavra em Paradela, concelho de Terras de Bouro, distrito da Guarda. O incêndio, que consome uma zona de mato e pinhal, deflagrou às 2,30 horas e está a ser difícil de controlar, devido aos ventos fortes que se fazem sentir no local. Um incêndio em Vilar de Arca, Cinfães, voltou a reacender-se a reacender-se. O fogo, que consome mato, deflagrou quinta-feira, cerca das 11,30 horas, e foi circunscrito cerca meia-noite, mas reacendeu-se, mobilizando agora 118 bombeiros apoiados por 31 viaturas. No combate participam dois grupos de reforço de incêndios florestais do Porto e Lisboa.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Mais um dia de risco muito elevado em Gondomar

NÍVEL DE RISCO VERMELHO

Nesta sexta-feira, o nível de risco em Gondomar vai continuar muito elevado, ou seja, vermelho, segundo a classificação do Instituto Nacional de Metereologia. A Autoridade Nacional de Protecção Civil mantém, até às 21 horas deste dia 7, o alerta amarelo em todo o País, também devido ao risco de incêndio florestal. Em muitos concelhos, o risco é mesmo máximo, nomeadamente no Concelho de Castelo de Paiva, fronteiro ao de Gondomar. Entretanto, três incêndios continuavam esta noite por circunscrever no Centro e Norte do País, mobilizando mais de 320 bombeiros. O mais recente, deflagrou às 19:19 numa zona de mato em Moita de Cumes, Gouveia (Distrito da Guarda). No combate a este fogo, ainda não circunscrito, estão 42 homens, apoiados por 11 veículos, de acordo com informação da Protecção Civil. Também por circunscrever está o incêndio de Pousadas Vedras, Pombal, que lavra desde as 14:57.
Este é o fogo que mais meios está a mobilizar - 171 homens e 30 veículos, além do segundo Comando Distrital de Operações de Socorro, o Governador Civil e uma equipa de Avaliação de Incêndios Florestais, entre outras unidades especiais. O terceiro incêndio sem controlo está a consumir, desde as 11:38, uma área de mato em Vilar de Arca, concelho de Cinfães. O combate envolvia, perto das 20:50, 115 homens, 30 veículos, além de várias unidades especiais. Em Gondomar, têm surgido alguns fogachos e pequenos incêndios, que têm sido dominados pelos Bombeiros, sem que atinjam dimensões consideradas elevadas, mas a situação é de alerta, face às condições climatéricas extremas. Nunca é demais, por isso, recordar alguns concelhos:

- Não fazer qualquer tipo de fogo;

- Não utilizar equipamentos mecânicos em trabalhos agríolas, nomeadamente roçdoras de lâmina, susceptíveis de produzir faiscas ou faúlhas;

- Não deitar fforos ou pontas de cigarros para a floresta;

- Não abandonar na floresta nenhum lixo,incluindo garrafas de vidro;

- Não realizar fogueiras para recreio, lazer ou confecção de alimentos;

- Não queimar matos cortados ou sobrantes de exploração;

- Não utilizar balões de mecha acesa, foguetes ou fogo de artifício.

ALERTAR A PROTECÇÃO CIVIL, ATRAVÉS DO 112 (número nacional) OU DO 800 200 135 (em Gondomar) CASO DETECTE FOGO OU FUMO NA FLORESTA.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Mais dois incêndios no Norte

Dois incêndios lavravam hoje à noite no Norte do País, um dos quais deflagrou às 21:46 no Parque Nacional da Peneda-Gerês, numa zona de difícil acesso, informou a Autoridade Nacional de Protecção Civil. Este incêndio está a consumir uma zona de mato e carvalhos, em "local de difícil acesso", de acordo com a mesma fonte. No combate estão 16 bombeiros, apoiados por três veículos e outros meios. A zona afectada situa-se no concelho de Montalegre, distrito de Vila Real. Ainda segundo informação da Protecção Civil, perto das 22:25 deflagrou um outro incêncio numa zona de mato em São Roque, concelho de Vieira do Minho (Braga). No terreno estão 49 bombeiros e 13 veículos. Trata-se de um "incêndio em eucaliptal com três frentes activas", segundo a mesma fonte.

Notícia LUSA

Alerta até ao final de sexta-feira

A Autoridade Nacional de Protecção Civil mantem-se em alerta até ao final do dia 7 de Setembro. Face à subida das temperaturas máximas e mínimas e a descida dos valores de humidade e registo de ventos provenientes de Leste, a ANPC irá manter o nível de alerta Amarelo até às 21.00 horas da próxima sexta-feira,dia 7 de Setembro,aconselhando o seguinte:

- Não fazer qualquer tipo de fogo;
- Não utilizar equipamentos mecânicos em trabalhos agríolas, nomeadamente roçdoras de lâmina, susceptíveis de produzir faiscas ou faúlhas;
- Não deitar fforos ou pontas de cigarros para a floresta;
- Não abandonar na floresta nenhum lixo,incluindo garrafas de vidro;
- Não realizar fogueiras para recreio, lazer ou confecção de alimentos;
- Não queimar matos cortados ou sobrantes de exploração;
- Não utilizar balões de mecha acesa, foguetes ou fogo de artifício.


Tendo em conta esta situação, os grupos populacionais mais vulneráveis (idosos, crianças, sem abrigo, doentes do foro cardio respiratório), deverão:

- Beber água com regularidade. Evitar bebidas alcoólicas ou gaseificadas;
- Evitar sair à rua nas horas de maior calor;
- Evitar fazer actividades que exijam muito esforço físico.


Se tiver que viajar de carro, escolha horas de menor calor. Não permita que pessoas e/ou animais fiquem dentro da viatura ao sol.

Leia o comunicado oficial da ANPC

Incêndio lavra em Leiria

Mais de 300 bombeiros combatiam hoje, ao princípio da noite, fogos em Leiria, Boticas e Fundão. Apoiados por meios aéreos, os soldados da paz tiveram hoje um dia complicado na zona Centro do País, mas sem perderem, regra geral, o controlo das situações. O pior caso continuava, já esta noite, a ser o de Leiria. Este incêndio, que deflagrou às 15:07, em Lagares, na freguesia de Colmeias, Leiria, ainda não está circunscrito e lavra com alguma intensidade numa zona de eucaliptos, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS). O fogo, que já chegou a ter três frentes activas, tem agora apenas uma activa e outra dominada. No local, nas acções de combate às chamas, estão 170 bombeiros, apoiados por 46 veículos de corporações do distrito. Amanhã, o dia é de risco extremo no Centro e Norte do País em muitos Concelhos, sendo muito elevado em Gondomar.

Ainda a notícia sobre o terreno em Rio Tinto

Depois do Jornal de Notícias ter publicado terça-feira uma notícia acerca de um terreno em Rio Tinto que, supostamente, apresentaria risco de incêncio, nas proximidades de um infantário, têm-se multiplicado os desmentidos ou correcções. Primeiro, a Junta de Freguesia de Rio Tinto, que, segundo a edição de hoje do mesmo Jornal, corrige informações ontem avançadas, nomeadamente, acerca do Departamento que foi informado da situação. Tal esclarecimento da Junta de Freguesia, coincide precisamente com a informação prestada pela Câmara. A própria Câmara vê também hoje publicada informação já anteriormente prestada ao JN, mas não divulgada na notícia original, acerca da data de entrada da queixa nos nossos serviços e quanto à ausência de motivo para qualquer alarme. Mas, como se não bastasse, o próprio infantário comunicou hoje à Câmara o seu desagrado pela publicação da notícia, afirmando que não denunciou qualquer situação ao JN, bem pelo contrário, terá afirmado que a situação não representa qualquer perigo, o que não se pode ler em qualquer das notícias. Estranho, em toda esta história, é o público leitor ficar sem saber, afinal, quem se queixa e porquê... e concretamente, de que se queixa. Afinal, as três fontes sitadas não se revêem no alarmismo levantado. O Concelho de Gondomar continua, entretanto, sobre ameaça das chamas, face às condições climatéricas extremas, potenciadoras de incêndios florestais. Os nossos serviços de Protecção Civil estão atentos e alertas e todas as situações potencialmente perigosas merecem tratamento imediato. Nem toda a prevenção poderá evitar alguns sinistros, mas ajudará, pelo menos, a reduzir os risco e as consequências de eventuais encêndios. A verdade, é que tudo o que Gondomar e o País não necessitam é de falsos alarmismos.

Nível muito elevado continua

O risco de incêndio florestal continua muito elevado em Gondomar. Segundo a previsão do Instituto de Metereologia, a situação manter-se-á, pelo menos, amanhã. Além do nível Vermelho que é apresentado em Gondomar, quanto a risco de incêndio em Gondomar, a Protecção Civil mantém, até sexta-feira, o "alerta amarelo", ou seja, um nível elevado de prevenção, para todo o País.

NÍVEL DE RISCO MUITO ELEVADO

VERMELHO VERMELHO VERMELHO




O risco de incêndio em Gondomar é hoje MUITO ELEVADO, situando-se ao nível mais elevado desde o início da época de incêndios. Temperaturas elevadas, que se repetem há vários dias, humidade relativa baixa e ventos fortes potenciam o risco.

Incêndio em Medas

Um incêndio teve lugar ontem nas Freguesias de Medas e Melres, no Concelho de Gondomar. O sinistro apenas não atingiu grandes proporções dada a eficaz intervenção dos bombeiros (65 homens e um elicóptero), que extinguiram as chamas.

JN esclarece notícia

O Jornal de Notícias faz hoje a correcção da notícia ontem publicada acerca de um terreno supostamente perigoso em Gondomar. Siga o link.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Muito menos chamas este ano

As chamas queimaram em Portugal, desde o início do ano e até ao final de Agosto 12.275 hectares de floresta e mato, o que representa um total inferior à média dos últimos cinco anos. Segundo a Direcção-Geral dos Recursos Florestais (DGRF), registaram-se 7.081 ocorrências de fogo (986 incêndios florestais e 6.095 fogachos). Do total de área ardida, 6.028 hectares dizem respeito a floresta e 6.247 hectares a mato. Os maiores valores de área ardida verificam-se nos distritos de Santarém (2.328 hectares) e Beja (2.301 hectares). O maior número de incêndios florestais ocorreu em Vila Real e Braga (116 e 109, respectivamente). Porto e Lisboa são os dois Distritos que mais fogachos apresentaram, o primeiro com 1.141 registos e o segundo com 733. Quando comparados os registos deste ano com os valores médios apurados nos últimos cinco anos, verifica-se que houve menos 11.280 ocorrências de fogo e arderam menos 156.660 hectares. Este ano ocorreram 16 grandes incêndios (com área ardida igual ou superior a cem hectares), cuja área ardida (8.229 hectares) corresponde, aproximadamente, a 67 por cento do total. O maior incêndio, até 31 de Agosto, ocorreu em Sardoal, distrito de Santarém, com uma área de 1.864 hectares consumidos. Não houve, até agora, qualquer incêndio florestal de relevo em Gondomar.

Esclarecimento

O Jornal de Notícias faz hoje referência à alegada falta de limpeza de um terreno em Rio Tinto, perto de um infantário. Contudo, alguns pormenores da notícia não são exactos. Em primeiro lugar, nunca o Departamento de Ambiente foi contactado acerca deste assunto. Foi, isso sim, enviada uma denúncia acerca do mesmo, à Protecção Civil, apenas a 23 de Agosto de 2007 (deste ano e não do ano passado, conforme se lê na notícia). Apenas quatro dias depois, o processo tinha já sido depachado para os técnicos camarários averiguarem a situação. Estes dados foram comunicados ontem mesmo ao JN, nunca tendo sido dito que a Câmara "desconhecia o caso", tendo a jornalista sido informada que eventual limpeza do terreno feita em 2006 não foi da responsabilidade da Câmara. O terreno foi já visitado por uma equipa camarária e até por um Vereador, concluindo-se que não existe risco eminente ou situação grave de insalubridade que justifique qualquer alarme. A avaliação técnica que está a ser feita apurará se, nos termos da Lei, será ou não necessário notificar o proprietário para que proceda à limpeza do terreno, o que tem ocorrido noutros locais, normalmente, com eficácia. Recordamos que a Lei estabelece que a competência da notificação dos proprietários é da responsabilidade das Câmaras Municipais e não de qualquer outra entidade ou Autarquia. A Câmara Municipal de Gondomar tem procedido de acordo com a Lei e tem contado, regra geral, com a colaboração dos proprietários. Entretanto, aproveitamos para recordar que, do ponto de vista climatérico, este tem sido um ano anormal, com temperatruas mais baixas e pluviosidade acima da média. Esta situação tem ajudado a prevenir os incêndios florestais, mas tem também provocado um crescimento anormal da vegetação rasteira, como parece ser este o caso, com ervas altas e alguns arbustos. Torna-se, por isso, necessário que os proprietários tenham atenção a esta situação, até porque, alguns terrenos limpos antes do início da época de incêndios, começam a apresentar já alguma vegetação rasteira acima do normal para este época do ano. Desse risco demos, aliás, conta neste blog em meados de Julho (LER ARTIGO NO CORTA FOGO), uma vez que, já nessa altura, os níveis de pluviosidade apresentavam valores superiores ao normal.

Temperaturas acima dos 30 graus

A temperatura subiu hoje aos 34 graus em Gondomar, elevando para Laranja (Elevado) o nível de risco de incêndio florestal para amanhã. Tome medidas e precauções. Avise a Protecção Civil de Gondomar de qualquer situação que considere perigosa. O tempo quente vai continuar.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Bombeiro morreu esta madrugada no rescaldo de incêndio em Guimarães

Um bombeiro morreu esta noite, durante o rescaldo de um incêndio em S. Martinho do Conde, Guimarães. O fogo, que deflagrou às duas horas, já estava extinto, cerca das sete da manhã, quando os bombeiros procediam às operações de rescaldo e o sub-chefe dos Bombeiros Voluntários de Guimarães caiu de um telhado. O homem, de 60 anos, tinha mais de 30 anos de experiência que era considerado uma referência para toda a corporação. O incêndio teve lugar numa fábrica e armazém de algodão. Participaram no combate às chamas, corporações de bombeiros de Vizela, Guimarães, Taipas e Famalicão. Além de impedir que o fogo alastrasse às outras zonas da empresa, os bombeiros conseguiram impedir que se propagasse para as cerca de dez fábricas vizinhas. Foi dado como extinto cerca das 5,30 horas.

domingo, 2 de setembro de 2007

Céu limpo e temperaturas elevadas toda a semana

A semana que agora começa será de calor, com as previsões a apontarem para temperaturas a rondar os 30 graus no Porto e o céu a manter-se limpo. Mantenha-se atento ao CortaFogo.

sábado, 1 de setembro de 2007

O pior do dia

Está já em fase de rescaldo o incêndio que desde as duas horas da tarde lavrava em Góis. As chamas foram combatidas por 125 bombeiros de 19 corporações. O incêndio, que terá tido origem criminosa, começou em quatro locais diferentes, numa área de pinhal e mato, entre Serpins (concelho da Lousã) e Góis. As povoações da zona não estiveram em perigo, disse fonte dos bombeiros.O fogo foi circunscrito pelas 16h15. Trinta e quatro veículos apoiado o trabalho dos Soldados da Paz.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Risco de incêndio MUITO ELEVADO em Gondomar

VERMELHO VERMELHO VERMELHO
Hoje, o risco de incêndio florestal em Gondomar é muito elevado. Devem, por isso, tomar-se medidas de alerta. Esteja atento à floresta que o rodeia e avise as autoridades, assim que detectar fumo ou fogo. Não hesite em denunciar fogueiras ou queimadas e comunique à Protecção Civil qualquer situação de ilegalidade. Não ande de automóvel fora de estrada. A prática de todo-o-terreno está proibida neste período. Não atire pontas de cigarro ou vidos para a floresta. O risco hoje é dos mais elevados desde que se iniciou a época de incêndios.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

A Europa está preparada?


Ao longo da existência deste blog fomos publicando alguma informação acerca do combate a incêndios florestais na Europa. Mesmo antes da onda de calor e de incêndios ter atingido a Europa do Sul, nomeadamente Grécia (na imagem de satélite ao lado), Itália e as repúblicas da Ex-Jugoslávia, já havia quem temesse o que viria a acontecer. Na sondagem que hoje lhe lançamos (e na qual pode votar na coluna ao lado), queremos saber a sua opinião acerca do nível de preparação que a Europa possui para fazer frente ao flagelo dos incêndios florestais.

Artigos relacionados já publicados no CortaFogo:



quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Relatório Provisório de Incêncios Florestais

Encontra-se disponível o Relatório Provisório de Incêndios Florestais cujos os dados se reportam ao intervalo de 1 de Janeiro a 15 de Agosto de 2007, incluíndo assim as fases Alfa e Bravo, bem como a parte da fase Charlie.

Pode Visualizar aqui
RelatórioProvisório de Incêndios Florestais na Direcção-Geral dos Recursos Florestais

domingo, 26 de agosto de 2007

Portugal envia avião para combate de incêndios

Portugal vai enviar, este domingo, um avião Canadair para ajudar ao combate dos fogos florestais na Grécia que têm atingido o país e que já mataram cerca de meia centena de pessoas, divulgou a Autoridade Nacional de Protecção Civil. O aparelho foi cedido após contactos entre os ministros da Administração Interna de Portugal e da Grécia, devendo o Canadair seguir para uma base a 18 quilómetros de Atenas, onde ficará à disposição das autoridades helénicas. Além deste avião, vai ser ainda enviada uma equipa constituída por um perito e um oficial de ligação que vai acompanhar a missão, que deverá durar três dias. O envio deste avião e desta equipa aconteceu na sequência de uma solicitação que a Grécia fez a toda a Europa no sentido de obter apoio para o combate aos incêndios neste país, onde de resto já decretado o estado de emergência. Portugal já tinha ajudado a Grécia com o envio de um Canadair a 28 de Julho para o combate aos fogos florestais que afectaram a região do Peloponeso, a mesma que está a ser atingida na mais recente vaga de incêndios do país. Tal como Portugal, países como a França, a Itália e a Espanha também enviaram aparelhos de combate a incêndios para a Grécia, que deverão chegar rapidamente às zonas mais afectadas por estes incêndios. Em comunicado, a Comunidade Europeia adiantou ainda que «helicópteros especializados foram igualmente colocados à disposição pela Noruega, Alemanha e Holanda».«No total, 13 aviões e helicópteros estão actualmente à disposição para apoiar os esforços da Grécia na luta contra os incêndios», acrescentou a Comunidade Europeia nesta nota. A Alemanha deverá enviar três helicópteros para a Grécia, enquanto que a Noruega deverá outro, ao passo que a Holanda anunciou o envio de doutros três. A Suécia propôs o envio de um avião Canadair.
Fonte: TSF/LUSA

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Fogo de Sintra

Está controlado o incêndio no concelho de Sintra. Ao fim de oito horas de combate às chamas, o incêndio foi dado como circunscrito. As chamas consumiram 200 hectares de floresta. O autarca de Sintra elogiou a articulação entre as diferentes autoridades no combate a este fogo.
O incêndio no concelho de Sintra que ontem atingiu proporções preocupantes já foi dado como dominado. No combate a este fogo estiveram mais de 400 bombeiros. Apesar de estar circunscrito, o fogo continua a mobilizar 463 bombeiros e 133 viaturas. Os homens vão continuar no terreno para evitar reacendimentos explicou à TSF o secretário de Estado Protecção Civil, Ascenso Simões. «Neste momento o incêndio esta dominado, mas durante a noite ainda há muito trabalho para fazer e por isso vamos manter 400 homens no terreno», explicou o Secretário de Estado que agradeceu ainda ao presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, o facto de ter disponibilizado todos os meios necessários. O autarca de Sintra, Fernando Seara, também agradeceu o empenho «do Governo e do secretário de Estado». Seara elogiou também o trabalho de todos as autoridades envolvidas e a «articulação entre a administração central e a Protecção Civil». O vento dificultou o trabalho dos bombeiros, algumas casas estiveram mesmo em perigo, mas segundo o presidente da câmara de Sintra, Fernando Seara, «apenas o anexo de uma casa em Nafarros foi destruído». Por precaução, durante a tarde, algumas pessoas foram evacuadas.
Para o combate a este incêndio foram chamados reforços de Lisboa, Santarém e Setúbal. No local está também o regimento de sapadores bombeiros de Lisboa. O incêndio, que chegou a ter cinco focos distintos, atingiu principalmente as zonas de Nafarros, Várzea de Sintra e Carrascal.

Fonte: TSF/LUSA

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Tempo quente durante toda a semana

A semana que hoje começa manter-se-á com temperaturas elevadas, até, pelo menos, ao próximo fim-de-semana. Na zona do Porto, esperam-se temperaturas a rondar os 24 a 26 graus, mas no Interior e no Litoral Sul, os termómetros podem suber acima dos 30. O vento soprará sempre moderado, com cerca de 20 km/h, o que potencia os incêndios florestais. Fique atento e vá passando pelo CortaFogo.

sábado, 18 de agosto de 2007

Risco volta a aumentar

LARANJA ELEVADO LARANJA
O nível de risco de inêndio para Gondomar volta amanhã, dia 19, a crescer, situando-se no LARANJA, ou seja, elevado. A subida da temperatura e o vento fazem com que o risco cresca. mantenha-se atento e avise as autoridades de qualquer situação com que tome contacto.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

400 inquéritos e 28 detidos desde o início do ano

São já 28 as pessoas detidas, este ano, acusadas de fogo posto. Dez delas foram colocadas em prisão preventiva. Além destas detenções, "as autoridades policiais já instauraram 400 inquéritos por suspeitas de crimes relacionados com incêndios florestais". Em Portugal, o crime de fogo porto é punido com uma pena de três a 15 anos de prisão.

Mais detidos por fogo posto

O tribunal de Moimenta da Beira decretou prisão preventiva para um homem de 30 anos detido pela GNR por suspeitas de ser o autor de vários incêndios em Moimenta da Beira e em Sernancelhe, elevando para 28 o número de incendiários detidos desde o início do ano. O suspeito foi detido pela GNR na última terça-feira depois de diversos populares terem alertado a GNR para um "o indivíduo que se fazia transportar numa viatura e que aparecia sempre nos vários incêndios. Conseguimos aborda-lo junto a um incêndio e tinha na sua posse um isqueiro. Já no posto o indivíduo veio a confessar a autoria dos crimes de fogo posto e o tribunal confirmou-lhe prisão preventiva", contou ao DN o comandante da GNR de Moimenta da Beira, Pedro Reis. Já no início da semana a Polícia Judiciária anunciou a detenção de um ex-bombeiro da corporação de Tabuaço suspeito da autoria de quatro incêndios ocorridos no concelho, entre 27 de Maio e 8 de Agosto A 3 de Agosto a GNR deteve o autor do incêndio que ocorreu no Crato, Portalegre e que viria a confessar a autoria do fogo. No princípio do mês a GNR identificou três agricultores por terem provocado três incêndios, durante a realização de trabalhos agrícolas nas aldeias de Mizarela (Guarda), Girabolhos (Seia) e Cortiço (Fornos de Algodres). Em Mizarela o incêndio foi provocado por um homem, de 65 anos, que acendeu uma fogueira para limpar a vela de um moto cultivador. Nos outros dois casos, os incêndios foram causados por queimadas.

Fonte: Diário de Notícias

quinta-feira, 16 de agosto de 2007

O fogo aqui perto

Alto Vilar, em Valongo foi palco, na passada terça-feira, de um incêndio, que chegou a ter três frentes. No entanto, os bombeiros conseguiram controlar as chamas ,que surguiram cerca das 15 horas, apenas duas horas depois de terem começado. Três helicópteros, 15 viaturas e 58 bombeiros combateram este incêndio.

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

O tempo para os próximos dias




terça-feira, 14 de agosto de 2007

Incendiário detido tinha sido bombeiro

A Policia Judiciária, através da Directoria do Porto, deteve na passada quinta feira um indivíduo de 31 anos de idade por suspeita da prática de quatro crimes de incêndio doloso. Os incêndios ocorreram nas localidades de Desejosa, Vale Figueira, Pinheiro e Granja do concelho de Tabuaço, entre os dias 27 de Maio e 8 de Agosto e puseram em perigo uma extensa área florestal. O arguido, que prestou serviço como voluntário, nos Bombeiros Voluntários de Tabuaço, durante 10 anos, de onde foi recentemente expulso, terá agido com propósitos de vingança face à sua exclusão daquela corporação. Presente perante as autoridades judiciárias competentes para interrogatório judicial e aplicação de medida de coacção adequada, ficou a aguardar os ulteriores tramites processuais em prisão preventiva.
fonte: Polícia Judiciária

segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Mais uma sondagem disponível a partir de hoje


As televisões não deveriam mostrar tantas imagens de incêndios como mostram. Parece ser esta a conclusão da maioria dos nossos visitantes que quiseram votar na nossa sondagem. 42% entendem que as imagens incentivam os incendiários. 31% são menos radicais e entendem que deveria haver apenas uma maior moderação. 21% pensam, contudo, que a realidade é para se mostar. Hoje, lançamos nova sondagem, perguntando aos cibernautas se tomam ou não medidas, no dia-a-dia, para preservar o ambiente. Gestos como fechar a torneira enquanto lavamos os dentes, separar o lixo para reciclagem, a utilização de transportes públicos ou a diminuição da intensidade de sistemas de aquecimento e de refrigeração, podem contribuir para a redução de emissões ou a preservação de energia, diminuindo o efeito de estufa. O incremento de incêndios florestais é uma das consequências conhecidas do aquecimento global, que pode ser combatido com os nossos pequenos gestos diários. Contribua com o seu comportamento e vote nas nossas sondagens, na coluna da direita.

Chuva em Agosto


Parece mentira... mas estamos em Agosto.

Veja a previsão do tempo para os próximos dois dias, segundo o Instituto Nacional de Metereologia.

Para amanhã, dia 14, prevê-se um aumento de nebulosidade a partir da tarde nas regiões do Litoral Norte e Centro, com ocorrência de períodos de chuva fraca no Minho e Douro Litoral para o fim do dia, e céu pouco nublado ou limpo nas restantes regiões. O vento será em geral fraco (inferior a 20 km/h) do quadrante oeste, tornando-se moderado (20 a 30 km/h) de noroeste no litoral oeste a sul do Cabo Carvoeiro e de sudoeste no litoral a norte do Cabo Mondego; nas terras altas do Norte, o vento intensificará para moderado a forte (até 45km/h) de sudoeste a partir do fim da tarde. A temperatura do ar não deverá sofrer variações significativas, e prevê-se que a humidade relativa tenha tendência para aumentar a partir da tarde nas regiões do Litoral a norte do Cabo Carvoeiro.

Para dia 15, prevê-se a ocorrência de períodos de chuva nas regiões do Norte e do Centro até ao início da tarde, podendo ser por vezes moderada, durante a noite e a manhã, no Minho, Douro Litoral e Beira Litoral; há possibilidade dos períodos de chuva fraca poderem estender-se para sul até ao Litoral Alentejano. O vento será em geral fraco (inferior a 20 km/h) do quadrante oeste, soprando temporariamente moderado (20 a 35 km/h) no litoral oeste; nas terras altas, o vento soprará por vezes moderado a forte (até 45km/h) até ao fim da manhã. Há tendência para uma descida da temperatura máxima, em especial nas regiões do Norte e do Centro.

Anúncio CortaFogo


domingo, 12 de agosto de 2007

Risco baixa em dia de Volta a Portugal

O nível de risco de incêndio em Gondomar baixou hoje para amarelo. Ou seja, moderado!

sábado, 11 de agosto de 2007

Risco mantém-se elevado

LARANJA

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Níveis de alerta quanto a incêndios serão elevados no dia da etapa de Gondomar da "Volta"



É já no domingo que a Volta a Portugal em Bicicleta chega a Gondomar. Os ciclistas, vindos da Lixa (ver percurso), entram no Concelho via Barragem de Crestuma/Lever, seguindo pela bonita marginal até ao Freixo. Segue-se a Circunvalação e a entrada em Rio Tinto. A seguir à Rorunda Rotary, seguirão para a Câmara Municipal e, para a Via Direccional, vindo a terminar a etapa entre a Biblioteca Municipal e o Multiusos de Gondomar. Esta etapa, sobretudo na primeira fase, passa por algumas zonas florestais, junto ao Rio Douro. Prevêem-se temperaturas a rondar os 30 graus, no domingo, e os níveis de risco de incêndio deverão ser elevados ou mesmo muito elevados. Não se esqueça, por isso, de tomar todas as precauções, se decidir assistir à passagem dos ciclistas. Não faça fogo, não atire beatas acesas de cigarros para o chão, não deixe vidros na floresta e tenha muito cuidado com o seu carro ou moto. Ao parar fora da estrada, assegure-se que o escape ou motor não ficam próximos de folhas ou vegetação. Previna e vida a verdadeira festa da Volta a Portugal em Bicicleta, também, em Gondomar. Espectador prevenido e com presença garantida, é o Major Valentim Loureiro, que, como Presidente da Câmara, voltará a "alinhar" na mais importante festa do ciclismo nacional.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Nível mantém-se ELEVADO

LARANJA * LARANJA * LARANJA

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Nível de risco sobe em Gondomar

LARANJA * ELEVADO * LARANJA
O Instituto Nacional de Metereologia alterou hoje o nível de risco de incêndio em Gondomar para ELEVADO. Mantenha-se, por isso, atento à floresta. Consulte o mapa.

Tempo continua ameno

As temperaturas já não deverão atingir este ano os valores que já atingiram... por muito pouco tempo. O Verão é fraco de calor e, neste caso, a floresta agradece. Até ao final de Setembro, ainda virão períodos de algum calor, mas sem que as temperaturas devam ultrapassar os 40 graus. Isto, se as previsões das principais agências internacionais estiverem certas, porque, a verdade, é que prognósticos, sobre este assunto... só mesmo no final!

Incêndios com "mão criminosa" já fizeram seis mortos em Itália

O Sul de Itália continua a ser devastado por incêndios de grande dimensão desde Junho. Já foram contabilizados seis mortos devidos aos sinistros, que hoje continuavam a lavrar. O corpo de um homem de 80 anos, encontrado ontem de manhã numa zona atingida por um incêndio na Puglia (Sudeste), elevou para seis o número de vítimas dos fogos florestais desde o início do Verão em Itália. Apesar de uma relativa acalmia registada pela protecção civil, continuam activos vários fogos na Calábria (extremo Sul) e na Campânia.
Um representante regional da Campânia, Corrado Gabriele (comunista) apontou responsabilidades a «uma ofensiva da criminalidade organizada», numa altura em que um helicóptero da protecção civil apagou, na véspera, 18 focos de incêndio ateados por desconhecidos. O reservatório de água do helicóptero foi atingido quando o piloto abastecia junto a um rio, disse à AFP um porta-voz da Região Campânia. Na segunda-feira, os cabos que permitiam assegurar a ligação rádio entre as equipas de socorro foram cortados. O ministro do Ambiente e líder dos Verdes, Alfonso Pecoraro Scanio, denunciou hoje «um verdadeiro assalto criminal contra os parques naturais e várias zonas de Itália», na cadeia televisiva Sky TG24.
«Os incendiários não são apenas doentes ou pirómanos», declarou o ministro, responsabilizando «grupos ligados a associações criminosas, nalguns casos, e noutros, ao sector da especulação imobiliária». No final de Julho, a organização ambientalista WWF estimou a superfície destruída nos parques naturais italianos em nove mil hectares. Nos primeiros sete meses do ano, registaram-se na Península Itálica 4.007 fogos florestais que destruíram 80.086 hectares de vegetação. O número de incêndios é 30 por cento superior ao do mesmo período do ano passado mas está 373 por cento acima no que respeita à superfície ardida.

Dois incêndios em fase de rescaldo na zona de Viseu

Dois incêndios que deflagraram durante a madrugada, foram esta manhã circunscritos e encontram-se já em fase de rescaldo. Ambos tiveram lugar no Distrito de Viseu e contaram com o apoio de meios aéreos. A rápida intervenção e as condições climatéricas não muito adversas, têm permitido, normalmente, controlar a extensão da áerea ardida.

Quatro incêndios monopolizam área ardida

Quatro incêndios florestais causaram mais de metade da área ardida este ano em Portugal. Dois desses fogos foram em Mértola, um em Santiago do Cacém e outro em Nisa. No total, somaram 2.786 hectares de área ardida, num total de 5.086 registados até 31 de Julho. Um relatório da Direcção-Geral de Recursos Florestais dá conta de um decréscimo do número e consequências dos fogos, mas avança que as condições meteorológicas são a principal explicação. Observando o Índice de Severidade Diário obtido pelo Instituto de Meteorologia, verifica-se que, "a partir de 15 de Junho, se mantém abaixo do período 2000-2006", sendo este ano o que apresenta, até agora, "uma época estival com condições meteorológicas mais amenas". Aliás, fazendo o cruzamento entre meteorologia, número de fogos e área ardida, "nota-se que ambos acompanham o padrão de variação do Índice de Severidade Diário". O relatório faz ainda uma análise aos indicadores meteorológicos que esclarecem isso mesmo. Nos meses de Junho e Julho, na Zona Norte do país, as temperaturas médias foram respectivamente 1,5 e 0,9 graus mais baixas do que a média do período de 1961-90. O inverso se nota quanto à precipitação, que esteve acima da média chegou a registar-se um desvio de mais 32,5 milímetros, em Junho, também na Zona Norte, enquanto a Sul foi de mais 7,7. Por distritos, foi em Portalegre e Beja que se registaram os maiores valores de área ardida, por via dos quatro grandes incêndios já referidos. Apenas nestes casos surgem referências ao apuramento de causas em dois, a investigação ainda decorre, enquanto os outros dois terão sido de origem intencional.No número de ocorrências, em contrapartida, lideram Porto (com um total de 709) e Braga (512). O número de reacendimentos (este ano, sujeitos a uma clarificação de critérios, como noticiou o JN) é, até 31 de Julho, de apenas 58, a maioria concentrados nos distritos de Braga (24) e Aveiro (12).Entrando na análise comparativa com os últimos anos, a área ardida corresponde a apenas 6,6% da média do último quinquénio e o número de ocorrências a 32,6%. Convém recordar, contudo, que esta média é influenciada por se encontrarem aqui os dois piores anos desde que há registos (2003 e 2005). Olhando só para 2006, as ocorrências são cerca de metade e a área ardida 26%.

terça-feira, 7 de agosto de 2007

O percurso da Volta em Gondomar e os cuidados a ter com a floresta


A Volta a Portugal em Bicicleta é uma festa e, como escrevemos no artigo anterior, passa este ano, de novo, em Gondomar. Já lhe demos conselhos quanto ao comportamento que deverá adoptar para evitar que a festa coloque em risco a floresta. Agora, damos-lhe o percurso. Se quiser ver a "Volta" em Gondomar, coloca-se em segurança. Tem cerca de 27 quilómetros para isso. Trata-se da sétima tirada, cujos 27 últimos quilómetros terão lugar quase inteiramente no Concelho de Gondomar. A etapa inicia-se pelas 12,30 horas, na Lixa, devendo entrar, 140 quilómetros depois, em Gondomar, pela Barragem de Crestuma/Lever. A hora prevista pela organização para a chegada dos ciclistas à Barragem é 16 horas, caso a média se situe nos 40% horários. No entanto, os ciclistas poderão chegar até um pouco antes, caso a etapa seja mais rápida. A partir daí os ciclistas seguem por Zebreiros, Atães e Ribeira do Abade, zona ribeirinha do Douro, com grande beleza paisagística, parte dela a ser alvo de intervenção urbanística no âmbito do Programa Polis de Gondomar. Junto ao Freixo, os ciclistas saem momentaneamente do Concelho e entrarão na Estrada da Circunvalação, regressando, logo depois,subindo até Rio Tinto por aquela estrada. Passam junto da Casa da Juventude de Rio Tinto e tomam a direcção do centro de Gondomar. Antes, passam em Fânzeres, na Rotunda Rotary e na Aveninda Humberto Delgado, para, depois, passarem em frente à Câmara Municipal de Gondomar, em pleno empedrado. Viram, logo a seguir. à direita, pela Rua Novais da Cunha. Já com a meta próximo, o pelotão, que se espera compacto, nesta etapa, virará à esquerda na rotunda, em direcção ao Auditório Municipal e à PSP, depois da ponte, que passa por cima do IC29, começará a ser preparado sprint final para a meta, que estará montada, depois da rotunda, na Avenida Oliveira Martins. A hora prevista para chegada dos ciclistas é 16,42 horas, se a média for de 40 km/h, mas há que levar em conta que, para uma possível média de 42% horários, será 16,30 horas. Certo é que os ciclistas estarão em Gondomar cerca de 30 minutos, terminando bem próximo de duas obras emblemáticas do forte desenvolvimento que o Concelho: a Biblioteca Municipal e o novíssimo Multiusos Gondomar no Coração, inaugurado há pouco mais de um mês e que será palco, ainda este ano da fase final do Europeu de Futsal.

Volta a Portugal em Gondomar. Cuidados a ter


A sétima etapa da Volta a Portugal em Bicicleta liga a Lixa a Gondomar, atravessando boa parte do Concelho e terminando entre a Biblioteca Municipal e o novíssimo Multiusos Gondomar Coração de Ouro. Trata-se de uma enorme festa, que será alvo, entre outros eventos, de um programa de televisão designado "Há Volta", que irá para o ar na tarde do próximo domingo. Mas a feste que o dia 12 se vai desenvolver em Gondomar em torno da "Volta" não nos pode distrair das medidas de segurança. Se for para a estrada, para ver passar os ciclistas, não se esqueça de se assegurar que não coloca a floresta em risco. Assim, nunca faça fogueiras ou fogo de qualquer outra forma. Não solte foguetes ou outros engenhos pirotécnicos. Não atire cigarros para o chão e, se fumar, assegure-se que apaga bem as beatas antes de as deitar fora. Nunca estacione o carro fora de estrada em sítios com vegetação rasteira, o escape, em contacto com folhas ou ervas pode provocar um incêndio. Quando estacionar, não deixe o carro a trabalhar parado durante muito tempo. Não deixe vidros ou garrafas na floresta, pois podem servir como "lentes", para atear um incêndio. Respeite a floresta e proteja-se dos incêndios florestais. Viva a festa da "Volta", em segurança.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Temperatura sobem... CortaFogo bate recorde

As temperaturas voltam a subir a partir de amanhã, embora não estejam previstos máximos tão elevados como os verificados na semana passada. Mentenha-se atento ao CortaFogo.

O blog da Protecção Civil da Câmara Municipal de Gondomar bateu na semana passada os seus recordes. Na semana que terminou domingo, 397 pessoas visitaram o blog, provocando 556 visitas. O dia 3 de Agosto bateu, entretanto, o anterior recorde de visitantes, que datava de 17 de Maio. com 90 origens diferentes a passarem pelo CortaFogo, provocando, apenas nesse dia 134 visitas. A quarta-feira continua, entretanto, a ser o dia com maior número de visitas, baixando estas ao fim-de-semana. Mais de 93% dos mais de 5.000 visitantes têm origem na Europa, sendo 91% de Portugal, segue-se o Brasil, com mais de 200 visitas e os Estados Unidos, com mais de 60 e a Espanha, com mais de quatro dezenas. Grande parte dos visitantes chega através de motores de busca, maioritariamente do Google. 95% dos visitantes usam o Windows XP como sistema operativo, 2,3% Windows Vista e os restantes usam Linux e Mac (1,1%). O Explorer 6 (51,1%) é ainda o browser mais usado, seguido da versão 7 (38,6%) e Mozila Firefox (10,2%).

Nível de risco volta a subir

LARANJA ELEVADO LARANJA

O nível de risco de incêndio, em Gondomar, regressa hoje ao estado "laranja", ou seja, elevado, depois de um domingo em "amarelo".
O vento potencia a ocorrência de incêndios e torna eventuais fogachos mais perigosos. Mantenha-se alerta. Avise as autoridades, no caso de detectar fogo.

domingo, 5 de agosto de 2007

Incrível!!!

É incrível como é que ainda há quem acredite no lixo electrónico que paira nos nossos e-mails e blogs. É normal recebermos "lixo" que nos diz, por exemplo, que não devemos usar este ou aquele produto ou deveremos reenviar para 100 e-mails um pedido de ajuda! Normalmente, para não dizer sempre, é mentira! Por isso, quanto a estas "tretas" apenas pode haver uma atitude: nunca repassar nada e, de preferência, colocar o remetente na lista negra. As autoridades têm, sempre, formas bem mais eficazes e credíveis para fazer passar as suas mensagens. O mesmo se passa em relação aos blogs, onde muitas vezes a informação é colocada sob a forma do anonimato e, em 85% dos casos, é totalmente falsa. Há que distinguir com inteligência e duvidar, quase sempre. Nos últimos dias, sugiu nos e-mails de muita gente um suposto comunicado sobre o calor, datado de 3 de Agosto. Não o reproduzimos, porque o disparate não deve ser reproduzido. Colocamos, por isso, o comunicado verdadeiro da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), que pode ser consultado na página oficial daquela entidade.

ANPC DESMENTE FALSO COMUNICADO EM CIRCULAÇÃO POR INTERNET

FOI POSTO, ABUSIVAMENTE, EM CIRCULAÇÃO UM SUPOSTO «COMUNICADO Nº 42» QUE ATRIBUI À AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL A RESPONSABILIDADE POR UMA RECOMENDAÇÃO QUE REFERE QUE «TODA A POPULAÇÃO SE DESLOQUE PARA CASA ATÉ ÀS 16.30 HORAS DE HOJE» DEVIDO À SUPOSTA «APROXIMAÇÃO DE UMA ONDA DE CALOR», E QUE O SECRETÁRIO DE ESTADO DA PROTECÇÃO CIVIL TERIA DADO INDICAÇÕES NO SENTIDO DE «TODOS OS SERVIÇOS PÚBLICOS ENCERRAREM A PARTIR DAS 15.30 HORAS».
A ANPC DESMENTE VEEMENTEMENTE ESTE FALSO COMUNICADO, ADIANTANDO QUE, PARA ALÉM DE NÃO TER EMITIDO O REFERIDO COMUNICADO, NÃO EXISTE QUALQUER «ONDA DE CALOR EXTREMA», NEM FORAM FEITAS QUAISQUER TIPO DE RECOMENDAÇÕES, QUER PELA ANPC, QUER PELO SECRETÁRIO DE ESTADO DA PROTECÇÃO CIVIL RELATIVAMENTE À DESLOCAÇÃO DA POPULAÇÃO PARA CASA OU AO ENCERRAMENTO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS.

No meio de tudo isto, apenas me fica uma dúvida: como é que pessoas supostamente esclarecidas e inteligentes ainda continuam a dar credibilidade a estas coisas e a passarem aos seus contactos de internet estas "brincadeiras" de utilidade duvidosa. Quem as lança será, com certeza, feito da mesma massa dos que gostas de passar o tempo a ocupar abusivamente linhas como o 112 com falsos alarmes. Felizmente, hoje, começam a ser aplicados sistemas para detectar esta gente e aplicar-lhe a Lei.

As TV's devem mostrar as chamas dos incêndios?

Deverão as estações de televisão mostrar as imagens mais impressionantes e "espectaculares" dos incêndios florestais? Esta é a questão que lhe colocamos na nova "sondagem" do CortaFogo, na coluna ao lado. Vote, também. Na última sondagem fechada, 75% dos que responderam consideraram que o combate às chamas deverá ser totalmente profissionalizado. Consulte as sondagens já encerradas no final da coluna e vote nas duas que neste momento estão activas.

sábado, 4 de agosto de 2007

Nivel de risco AMARELO em Gondomar

AMARELO - MODERADO - AMARELO
O Instituto Nacional de Metereologia corrigiu esta tarde a previsão para amanhã, domingo, qunto ao nível de risco de incêndio para Gondomar, baixando para AMARELO, ou seja, moderado. As temperaturas vão baixar um pouco, subindo a humidade relativa, embora deva manter-se toda a atenção e precaução. Segunda-feira, manter-se-ão estas condições, devendo voltar o calor forte como o de hoje na próxima terça-feira. Consulte o mapa.

Veja um Dromader a descarregar água

Neste vídeo, podemos ver um Dromader, idêntico ao que ontem caiu perto de Torres Novas, a descarregar água, numa acção de demonstração. Segundo uma testemunha ocular, citada pela Agência Lusa, terá sido ao fazer um destes movimentos que o Dromader polaco ao serviço do Estado Português se depenhou. Ainda segundo a mesma testemunha, o avião ligeiro não terá conseguido lançar a água, impedindo-o de subir o suficiente para evitar as árvores, devido ao peso. A Protecção Civil não confirma, para já este versão.

Piloto tinha experiência

A Autoridade Nacional de Protecção Civil garantiu hoje que o piloto do avião que morreu num combate a um incêndio em Torres Novas tinha experiência de voo e estava devidamente certificado. Em comunicado, o organismo refere que "o piloto reunia todos os requisitos legais e contratuais exigidos", em conformidade com a "licença válida e caderneta de voo apresentada pela empresa Aeronorte, Transportes Aéreos, fornecedora do serviço". Ainda de acordo com o comunicado da Protecção Civil, citando documentos emitidos pelo Instituto Nacional de Aviação Civil, o piloto tinha, em 3 de Maio, efectuado 5.512 horas de voo, "em vários tipos de aeronaves, para as quais estava certificado, com validade até Maio de 2012".

Risco mantém-se domingo

RISCO MUITO ELEVADO (VERMELHO)
Embora as temperaturas baixem um pouco no domingo e segunda-feira, o facto é que o risco de incêndio em Gondomar se manterá muito elevado, tal como acontece hoje. De uma forma geral, o País estará, contudo, um pouco mais aliviado da pressão. Consulte o mapa regularmente e mantenha-se atento à floresta, comunicando imediatamente qualquer sinal de incêndio.

Nível de risco de incêndio bate recorde este ano

VERMELHO VERMELHO VERMELHO
MUITO ELEVADO MUITO ELEVADO

O nível de risco de incêndio florestal atinge hoje o máximo do ano em Gondomar, passando de moderado (amarelo) para muito elevado (vermelho), sem passar pelo elevado (laranja). Tal deve-se à subida da temperatura, que hoje deverá ultrapassar muito os 30 graus em Gondomar, à baixa humidade relativa e ao vento. Espera-se, por isso, um dia quente, mas, com a colaboração e vigilância de todos, sem incêndios. florestais. Entretanto, o CortaFogo bateu também ontem o seu recorde, tendo registado a entrada de 90 visitantes diferentes, o que nunca tinha acontecido antes. No total, foram 134 as visitas, apenas num dia.

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Gil Martins diz que incêndio não era perocupante

Gil Martins, Coordenador do Centro Nacional de Operações de Socorro disse esta tarde à RTP que ainda se desconhecem as causas da queda no Dromader de combate a incêndios, que hoje operava num incêndio perto de Torres Novas. Segundo aquele responsável, o incêndio estava já controlado e durou apenas três horas. Segundo uma testemunha sitada pela Agência Lusa, o avião ligeiro terá batido numa árvore, depois de "não ter conseguido descarregar a água", não conseguindo, consequentemente, ganhar altitude. No entanto, Gil Martins não confirma, para já, esta versão. O piloto, que segundo a Rádio Renascença era português, terá tido morte imediata. No entanto, a nacionalidade do piloto não está confirmada.

Secretário de Estado seguiu para o local onde se despenhou avião

O avião que hoje caiu perto de Torres Novas estava envolvido no combate a um fogo - na altura já circunscrito - em zona de mato junto ao campo de futebol de Rechaldia, concelho de Torres Novas, distrito de Santarém. Uma fonte do Centro de Saúde de Santa Eufémia, sitada pela agência Lusa, disse que o avião caiu na encosta da Serra d`Aire, numa zona descampada, perto de Rechaldia. O secretário de Estado da Protecção Civil, Ascenso Simões, deslocou-se ao local do acidente e está a acompanhar a situação.


AVIÃO DE FABRICO POLACO
Este era um dos oito aviões ligeiros de combate a incêndios florestais alugados pelo Estado português, operacionais desde 1 de Junho. Os oito aviões ligeiros, contratados por três anos (2006, 2007 e 2008), estão operacionais nos distritos de Castelo Branco, Coimbra e Portalegre e foram entregues à ordem da Autoridade Nacional de Protecção Civil a 1 de Junho. Os aviões são da marca Dromader, de fabrico polaco, são amarelos, têm um motor a hélice, lugar para um piloto, atingem a velocidade de 237 quilómetros/hora, têm um tempo útil de operação de uma hora e 30 minutos e capacidade de transporte de água de 2.200 litros por descarga.

Um quarto da floresta da Gran Canária e de Tenerife ardeu

Os ambientalistas calculam que cerca de 25% da floresta das ilhas Gran Canária e Tenerife, as mais afectadas pelos incêndios da semana passada terá desaparecido. Trata-se de uma catástrofe sem precedentes para as ilhas e para o ecosistema da Região. Mas não só, o impacto socio-económico na Região é, também, incalculável. O incêndio iniciou-se com um protesto por parte de um vigilante florestal, que se encontra detido. Um pessoa morreu e 12 mil foram deslocadas. Arderam mais de 11 mil hectares de floresta.

Piloto que morreu era português - Diz RR





A queda de um avião de combate a incêndios florestais, esta tarde no concelho de Torres Novas, causou a morte do piloto. O avião combatia um incêndio que lavra desde as 15h00, junto ao campo de futebol de Rechaldia, no concelho de Torres Novas, distrito de Santarém.Para já não se conheçem as causas que provocaram a queda do aparelho, um avião ligeiro Dromadair, dos que o Estado alugou este ano para o combate a incêndios.Trata-se de um avião ligeiro Dromadair, um dos que o Estado alugou este ano para o combate a incêndios. O piloto do aparelho, que ao que foi possível apurar é de nacionalidade portuguesa, não sobreviveu. Para além deste aparelho, no local estavam outros três aviões.

MAPA DOS INCÊNDIOS

O incêndio no concelho de Torres Novas, distrito de Santarém, continua activo e com dimensão significativa. Em Sever do Vouga, o fogo continua a alastrar sem controlo. No fogo de Torres Novas, que não está circunscrito, estão empenhados 76 bombeiros, apoiados por 21 viaturas, dois aviões pesados Canadair e um helicóptero. Em Sever do Vouga, já lá vão quase quatro horas de combate às chamas. Este incêndio lavra na localidade de Ermida, numa zona de eucaliptal, e tem duas frentes activas.

Dromader caiu pelas 16,57 horas em Torres Novas

PILOTO TERÁ PERDIDO A VIDA

O avião que esta tarde caiu perto de Torres Novas era um Dromader de combate a incêndios florestais e o piloto viajava sozinho, sendo a única vítima a lamentar. A SIC Notícias revelou, há pouco, a morte do piloto e que o aparelho se terá despenhado depois das 16,57 horas, momento da última comunicação, ou seja, há menos de uma hora. A aeronave caiu na freguesia de Chancelaria (distrito de Santarém), junto a um campo de futebol. Era um dos meios aéreos envolvidos no combate ao incêndio florestal em Ourém.

TRATA-SE DE AVIÃO LIGEIRO COM APENAS UM LUGAR

Este seria um dos oito aviões ligeiros de combate a incêndios florestais alugados pelo Estado português, operacionais desde 1 de Junho. Os oito aviões ligeiros, contratados por três anos (2006, 2007 e 2008), estão operacionais nos distritos de Castelo Branco, Coimbra e Portalegre e foram entregues à ordem da Autoridade Nacional de Protecção Civil a 1 de Junho. Os aviões são da marca Dromader, de fabrico polaco, são amarelos, têm um motor a hélice, lugar para um piloto, atingem a velocidade de 237 quilómetros/hora, têm um tempo útil de operação de uma hora e 30 minutos e capacidade de transporte de água de 2200 litros por descarga.

Queda de avião em Torres Novas

Um avião de combate a incêndios florestais ter-se-á despenhado esta tarde perto de Torres Novas, onde combatia um incêndio. Não se conhecem nem as circunstâncias em a gravidade do acidente e as informações são ainda muito escassas.

Mais de 800 kits para as Freguesias

O Governo anunciou ontem que forma aprovadas 865 candidaturas ao programa de aquisição de meios de primeira intervenção no combate a incêndios florestais. As candidaturas aprovadas pelo secretário de Estado adjunto e da Administração Local, Eduardo Cabrita (ler AQUI despacho conjunto) inserem-se num programa de investimento de oito milhões de euros e permite às Juntas de Freguesia adquirir ‘kits’ de ajuda ao combate a incêndios. Guarda, Viseu, Viana do Castelo, Castelo Branco e Braga foram os distritos com maior número de candidaturas aprovadas. O comunicado do gabinete do Secretário de Estado das Autarquias Locais, Eduardo Cabrita, explica que “foram consideradas prioritárias as freguesias com mais de 50 por cento da sua área abrangida por mancha florestal e com um plano de formação ministrado pelos gabinetes técnicos florestais dos municípios ou por uma corporação de bombeiros”. No total, foram recebidas e apreciadas pela Direcção-Geral de Autarquias Locais 1.845 candidaturas. Segundo o despacho, os apoios são concedidos sob a forma de subsídio correspondente a 100% das despesas elegíveis à aquisição do seguinte material:
i) Depósito de 500 litros para água;
ii) Depósito de10 litros para espumífero ou retardante;
iii) Grupo moto/bomba com turbina dupla e motor de 9 HP a gasolina e bomba de média pressão de dois andares com débito de 40lts/minuto a 9,5 bar.
iv) Carretel 100 m mangueira 25 mm storz;
v) Doseador de mistura;
vi) Kit chupador com válvula de fundo;
vii) Agulhetas de 25 mm;
viii) Uma moto serra;
ix) Uma moto rossadora;
x) Duas pás de bico cortante;
xi) Um Ancinho de 4 dentes;
xii) Um Foição;
xiii) Dois Mcleod;
xiv) Um Polaski;
xv) Dois Batedores com cabo de madeira;
xvi) Uma mochila extintora dorsal;
xvii) Dois extintores de pó-quimico de 6 kg cada;
xviii) Uma agulheta 25 mm para espumífero/retardante.

O montante máximo de comparticipação é de 8.000 € (oito mil Euros)

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

O pior mês de Julho de que há memória na Europa


O mês de Julho foi um dos piores quanto a incêndios florestais na Europa de que há memória ou registos. No total, já arderam 3.376 quilómetros quadrados, segundo informou hoje a Comissão Europeia. O executivo comunitário assinala que a chamada «época de fogos» ainda mal começou e a área ardida na Europa é já idêntica à de todo o ano de 2006 (3.585 quilómetros quadrados), de acordo com dados disponibilizados pelo sistema de informação europeu de fogos florestais, gerido pela Comissão. Segundo o organismo, depois dos alertas no final de Junho sobre o risco elevado de incêndios em países como a Grécia e Chipre, assistiu-se, na segunda quinzena de Julho, a um forte aumento de fogos e área ardida na Bulgária, Croácia, Grécia e Itália. Bruxelas aponta que a situação no sudoeste da Europa, com condições atmosféricas relativamente moderadas em Julho, se alterou radicalmente, particularmente no sul da Península Ibérica e Ilhas Canárias, áreas que estão a experimentar grandes incêndios, ainda não contabilizados nos dados hoje divulgados. Segundo informação da Comissão Europeia - que mantém registos desde meados da década de 1980 no caso dos Estados-membros mais antigos -, Julho de 2007 foi dos piores meses de sempre, sendo mesmo o pior mês de Julho de que há registo. Já no caso de Portugal, segundo dados divulgados pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) e Direcção Geral dos Recursos Florestais (DGRF), ocorreram no mês de Julho de 2007 um terço dos incêndios verificados no mesmo mês do ano passado (1.510, contra 5.211 em 2006, que consumiram uma área de 5.761 hectares).
A imagem de satélite foi obtida pela NASA a 22 de Julho